A Categoria Bancária - Formação e Informação em Rede Cutista

Comunicação e Democracia



 
 

"Para setores da mídia, sindicalista é cidadão de segunda categoria", diz Berzoini

02/08/2010

'Para setores da mídia, sindicalista é cidadão de segunda categoria', diz Berzoini

 
Crédito: Marcello Casal Jr./Agência Brasil
Marcello Casal Jr./Agência Brasil Por Anselmo Massad, Rede Brasil Atual

São Paulo - O deputado federal e ex-presidente nacional do PT Ricardo Berzoini acusa a Folha de S.Paulo de estar em campanha por José Serra (PSDB), candidato na corrida ao Palácio do Planalto. A crítica é a resposta do parlamentar a reportagem publicada no jornal paulista no domingo (1º), que traz informações sobre um dossiê apócrifo e com informações falsas sobre o ministro da Fazenda Guido Mantega.

"A Folha de S.Paulo está na campanha do Serra, qualquer pessoa com um mínimo de bom senso vê isso", acusa Berzoini, em entrevista à Rede Brasil Atual. "Então, tudo o que ela puder criar de matérias que passem a ideia de que o PT é um partido que se dedica a manobras, artimanhas, a fazer jogo baixo é interessante para eles", completa.

Ainda no domingo, o deputado, em campanha de reeleição, publicou nota desmentindo as acusações (clique aqui para ler). Ele defende ainda dois outros funcionários do Banco do Brasil acusados no texto e manifesta seu apreço por Mantega na pasta da Fazenda. Além disso, ainda lembra que a carta apócrifa com acusações foi tema de nota no jornal Valor Econômico, ainda em maio.

A reportagem da Folha sustenta, com base em declarações de pessoas "da estrutura do governo" que falaram em condição de anonimato, que o dossiê falso é atribuído a lideranças ligadas ao PT e ao sindicalismo bancário. O material acusa a filha de Mantega, Marina, de reunir-se com Paulo Caffarelli, vice-presidente do Banco do Brasil, para fazer tráfico de influência. O imbróglio envolvia o fato de que o ministro da Fazenda defendia Caffarelli na presidência do fundo de previdência dos funcionários do Banco (Previ).

Na visão de Berzoini, entre membros do primeiro escalão do governo, não há nenhum crédito nem para a acusação contra as lideranças egressas do sindicalismo bancário nem para as informações falsas do dossiê. Ele critica ainda o uso de declarações "off the record", em que o nome da fonte da informação é ocultado.

"O off é pior do que carta apócrifa, é o último reduto dos canalhas", afirma. O jornal cita nove pessoas que teriam confirmado as suspeitas. "Em off, sempre tem um oportunista para falar. (O jornalista) pode ouvir pessoas do terceiro ou quarto escalão, pessoas de quem ele gosta e (que) tenha prazer de ouvir", reclama.

O ex-presidente do PT também vê uma tentativa de desqualificar lideranças sindicais. "Como temos uma bancada sindical grande na Câmara e no Senado, temos um presidente da República, a governadora do Pará e da Bahia, e vários ministros com origem sindical, eles se sentem incomodados, acham errado", critica.

"Para setores da mídia, sindicalista é um cidadão de segunda categoria. Até hoje, não se conformam de um sindicalista ter chegado à Presidência da República", sustenta. "Sempre que podem, procuram desqualificar o sindicalismo; a matéria (de domingo) serve a isso também", reitera.

Fonte: Rede Brasil Atual



Escrito por william-mendes às 23h12
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




 
 

Berzoini esclarece os factóides do PIG - Folha de S. Paulo

A Folha de domingo requentou matéria montada por jornalista do jornal Valor Econômico de 2 meses atrás. Esse pessoal do PIG - Partido da Imprensa Golpista, ainda nem começou as baixarias que acredito que farão para tentar dar alguma vida à candidatura da direita atrasada do país - representada pelo sr. José Serra, do PSDB.

Abaixo, o companheiro Berzoini esclarece o fato criado para tentar abalar os PeTistas bancários históricos.

Eu, que conheço Berzoini, fico com a sua palavra que vale 1000 vezes a de jornalões hipócritas como esse dos Frias, grupo que até ajudou na perseguição dos militantes de esquerda durante a tragédia da ditadura brasileira, nada branda (conforme a Folha tentou iludir brasileiros do século XXI, com o termo nojento "ditabranda").

 

Com a palavra, Ricardo Berzoini:

Aos companheiros do PT e leitores em geral.

A edição deste domingo da Folha de S.Paulo
tem em sua principal manchete a acusação: Petistas fazem dossiê contra ministro do PT. A leitura da matéria esclarece: seriam petistas com origem no sindicalismo bancário. Fontes em off apontam: os suspeitos são o sr. Alencar Ferreira e o sr. José Luiz Salinas, ligados ao ex-presidente do PT Ricardo Berzoini, ocupantes de altos cargos nas empresas do BB. Fontes atribuem o tal dossiê, que a leitura da matéria revela tratar-se de uma carta apócrifa, à disputa pela direção da PREVI. E dão como consequencia do episódio o suposto enfraquecimento dos `bancários` na direção da campanha presidencial. E insinuam que eu teria estimulado a confecção ou distribuição da referida carta.

Esclareço:

1 - O ministro Mantega
sempre teve meu apreço e reconhecimento pela brilhante atuação à frente da política econômica do nosso país, que permitiu o enfrentamento da crise econômica mundial e uma estratégia de crescimento sustentável para o Brasil. Um ataque covarde e anônimo ao ministro só pode interessar aos que não tem compromisso com nosso governo.

2 - Conheço os ´suspeitos
´ há tempo suficiente para não acreditar que pudessem recorrer ao mais covarde dos instrumentos para atingir supostos objetivos políticos. Tratam-se de profissionais concursados do BB, que exercem altas funções no banco há bastante tempo, sempre elogiados por suas atuações.

3 - Acredito que o anonimato é o último refúgio da covardia, tanto em cartas como nos offs
jornalísticos. É grotesca a tentativa de atribuir a mim estímulo ou conivência com uma iniciativa dessas. Os que usam o off para fazer ilações anônimas incorrem na mesma falta de ética que os escritores de cartas apócrifas.

4 - Que eu saiba, não houve nenhum pleito dos bancários petistas em relação à campanha presidencial. Eu, desde que deixei a presidência do PT, em fevereiro deste ano, informei ao novo presidente do partido, companheiro José Eduardo Dutra e à nossa candidata Dilma Roussef
, que gostaria de dedicar o ano de 2010 ao meu mandato, prejudicado por mais de quatro anos de dedicação integral à direção nacional do PT, à minha campanha e ao convívio familiar, tão afetado pelas demandas partidárias. Estou atuando na campanha como militante no estado de São Paulo, defendendo nosso projeto e nossa candidata, com muita alegria. Quando tenho qualquer opinião relevante sobre a campanha, encaminho ao meu presidente, companheiro Dutra.

5 - Recentemente, em conversa com o ministro Mantega
, sobre outros assuntos de interesse da política econômica, comentei sobre a tal carta apócrifa, que havia sido tema de uma coluna do jornalista Cristiano Romero, do Valor Econômico. Sugeri ao ministro que determinasse ao BB a abertura de sindicância interna para apurar a eventual participação de funcionários do banco em sua elaboração. Disse a ele que, assegurado o direito de defesa, se constatada a participação de algum funcionário, este deveria ser excluído dos quadros da instituição, na forma dos normativos internos. Afinal, o uso do anonimato para atacar um ministro de estado e um vice-presidente do banco é uma deslealdade à corporação e ao país, pois o banco tem uma competente auditoria para apurar denuncias firmadas por seus funcionários.
 
-- 



Ricardo Berzoini



Escrito por william-mendes às 00h25
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




 
 

Futebol brasileiro precisa de mudanças substanciais, como precisava a Nação Brasileira em 2002, que MELHOROU com LULA e vai SEGUIR EM FRENTE COM DILMA PRESIDENTE!

E a CBF perdeu... E o Ricardo Teixeira perdeu... E o Dunga perdeu... (E COM ESSA TRALHA RETRÓGRADA, O BRASIL PERDEU NO FUTEBOL)

FUTEBOL é uma coisa complicada. Ao mesmo tempo que é COISA PRIVADA, coisa de empresas e muito, muito dinheiro, é COISA PÚBLICA, porque é a emoção e o imaginário do povo. INCLUSIVE, LEVA AS CORES DO PAÍS, CARREGA UMA NAÇÃO A CADA 4 ANOS.

MAS, FUTEBOL É COISA PRIVADA!

Eu apanhei igual cachorro de rua nesse período da COPA DO MUNDO DE FUTEBOL por dizer que não estava torcendo para o time da CBF, do RICARDO TEIXEIRA e do DUNGA. Apesar daquilo carregar as cores e corações do nosso povo brasileiro.

Bom, eu estou com o meu coração voltado para coisas que mexem muito mais com a vida do povo brasileiro, povo trabalhador, e a grande maioria, gente simples e boa:

-ORGANIZAR OS TRABALHADORES para LUTAR POR MAIS DIREITOS E DIGNIDADE

e, como não poderia deixar de ser em ano eleitoral, e como cidadão, 

-DIALOGAR COM O POVO BRASILEIRO na importância de VOTAR NA DILMA ROUSSEF para SEGUIR EM FRENTE e continuar MELHORANDO O BRASIL,

melhorias que começaram lá em 2002, com a ELEIÇÃO DE LULA DA SILVA e o PT.

Quanto ao FUTEBOL, paixão nacional, são necessárias MUDANÇAS NA CBF e na ESTRUTURA DO FUTEBOL, tanto na categoria amadora quanto na profissional e de clubes.

 



Escrito por william-mendes às 14h56
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




 
 

TV PÚBLICA ARGENTINA É OPÇÃO PARA OUVIR O OUTRO LADO DA MÍDIA DO PAÍS

Li matéria interessante da Carta Maior sobre tv pública e estatal argentina que faz o contraponto aos demais veículos de comunicação, todos fechados com as grandes famílias e grupos conservadores.

Deixo aqui a matéria TV pública inteligente e polêmica questiona monopólio da mídia.

Também achei interessante o canal da tv na internet: http://www.tvpublica.com.ar/tvpublica/



Escrito por william-mendes às 15h05
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




 
 

Leituras: Caderno TENDENCIOSO do Estadão sobre eleições - Dilma e Serra são "a mesma coisa"

Li hoje o caderno A CONSTRUÇÃO DO VOTO - O BRASIL OLHA PARA A FRENTE do jornal O Estadão de domingo 30 de maio. A reportagem é de Lourival Sant'anna.

O subtítulo diz o seguinte:

"O Estado percorreu 12.980 km, em todo o Brasil, para ouvir os eleitores sobre o que ocorreu nos últimos anos em suas vidas, sobre sua visão do governo e do País e como tudo isso repercute na construção de seu voto para presidente".

O jornalista e seus pares do Estadão tentam vender a ideia de que as candidaturas de Dilma Roussef e José Serra são a mesma coisa. São projetos iguais (de centro esquerda) e que nenhum dos dois é herdeiro do governo de Lula da Silva.

É UMA PIADA!!

Para confundir o eleitor novo ou desinformado, começa a apresentação falando em continuidade após os "16 anos" de governo FHC e LULA!!! É DE UM SINISMO CANHESTRO. MUITO IGUAIS OS DOIS GOVERNOS!! (o de FHC afundou o Brasil e o de LULA RENASCEU O BRASIL).

Depois parafraseia o slogam do PSDB "O Brasil pode mais" quando constroi a frase que reproduzo abaixo, frase que trabalha com a construção fantasiosa de que os dois candidatos são iguais.

"Os brasileiros estão mais contentes do que antes. Isso não significa que estejam satisfeitos: eles querem mais. Como não há um embate entre os candidatos sobre modelos de políticas econômicas e sociais, é natural que não haja um 'herdeiro' óbvio do que é percebido como conquistas, nem um oponente claro daquilo que ainda perturba os brasileiros. E há muito o que os perturba: as ineficiências do Estado, a precariedade da saúde, a violência, a corrupção, os impostos altos, enfim, os velhos problemas de sempre"...

CARA! TIVE A PACIÊNCIA DE LER O CADERNO INTEIRO PARA VER COMO É QUE O PIG ESTÁ TRABALHADO A ELEIÇÃO DE 2010. VAI SER BEM NOJENTO O PROCESSO ELEITORAL, COMO OS ÚLTIMOS DE 2006 E 2002.

 



Escrito por william-mendes às 22h47
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




 
 

CUT SAI VITORIOSA NO PLEBISCITO DOS BANCÁRIOS DO ESPÍRITO SANTO

30/04/2010

Bancários do Espírito Santo decidem em plebiscito manter filiação à CUT

 
A Central Única dos Trabalhadores (CUT) e a unidade nacional dos bancários saíram fortalecidas, com a vitória pela manutenção da filiação à CUT do Sindicato dos Bancários do Espírito Santo no plebiscito realizado nesta semana em todos os locais de trabalho. A apuração aconteceu na quinta-feira, dia 29, à noite, no Centro Sindical dos Bancários, no Forte São João, em Vitória.

Do total de 3.181 votos, a opção NÃO (contra a desfiliação) ganhou 1.574 votos e a opção SIM (pela desfiliação) teve 1.544 votos. Foram registrados, ainda, 42 votos nulos e 21 em branco. A assembleia itinerante foi realizada de terça-feira, dia 27, até quinta-feira. Dezessete urnas percorreram os locais de trabalho e uma ficou na sede do Sindicato, na capital capixaba.

O desligamento da CUT foi defendido pela maioria da atual direção do Sindicato, através de uma forte campanha de mídia, que ganhou as ruas por meio de 20 outdoors espalhados pela Grande Vitória e principais cidades do interior do Estado, além de várias chamadas em intervalos de programas de grande audiência da Rede Globo, como Jornal Nacional, Fantástico, Faustão e novelas.

O presidente da Contraf-CUT e diretor da CUT Nacional, Carlos Cordeiro, afirmou que "o resultado do plebiscito mostra que os bancários do Espírito Santo reconheceram a história de lutas e conquistas da CUT, que construiu a unidade nacional da categoria, possibilitando a assinatura da convenção coletiva nacional, desde 1992, unificando direitos e conquistas para todos os bancários do Brasil".

Para o secretário de Política Sindical da Contraf-CUT, Carlinho Abelha, "foi uma grande vitória da democracia e da CUT, onde os bancários se manifestaram contra o isolamento nacional e a favor da unidade da categoria para enfrentar os bancos e continuar avançando nas conquistas com mobilização e luta".


Fonte: Contraf-CUT com Seeb ES



Escrito por william-mendes às 14h59
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




 
 

ELEIÇÃO DOS BANCÁRIOS DE BRASÍLIA: VITÓRIA DA CHAPA 1 BANCÁRIOS DA CUT!!

Com 5.066 votos (quase 60% dos votos válidos), a Chapa 1 CUT Bancários, encabeçada pelo atual presidente Rodrigo Britto, venceu a eleição que definiu a nova diretoria do Sindicato para o triênio 2010/2013. Três chapas concorriam no pleito.

Foram três dias de votação, que terminou nesta quarta-feira, 31 de março. A apuração teve início à 0h desta quinta-feira 1º de abril e terminou por volta das 4h30 da madrugada, em posto montado no ginásio de esportes da Associação do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Apcef-DF).  Participaram do pleito 8.735 bancários sindicalizados, comparecendo em massa às urnas, numa lição de cidadania.

“A grande participação dos bancários mostrou mais uma vez seu grau de organização e consciência política, marcos que a fizeram referência nacional, e reforça ainda mais a representatividade do Sindicato”, afirma Rodrigo Britto, presidente reeleito da entidade, completando que isso aumenta na mesma proporção a responsabilidade da nova diretoria no trato com a pauta dos trabalhadores bancários. “Em nome da Chapa 1, agradecemos o apoio e a confiança em nós, mais uma vez, depositados, para mais três anos à frente do Sindicato, na luta por salários mais dignos, melhores condições de trabalho e saúde e mais qualidade de vida”, enumerou Britto.

Repercussão da vitória

Reconhecidos dirigentes do movimento sindical parabenizaram a Chapa 1 pela vitória. “O Sindicato dos Bancários de Brasília, um dos mais importantes da nossa central sindical, a CUT, será mais uma vez bem representado pelo companheiro Rodrigo Britto”, destacou Artur Henrique, presidente da CUT nacional. “O Sindicato tem mostrado ao longo dos últimos anos toda a sua importância para o movimento sindical, não só para a categoria bancária, mas principalmente para o conjunto dos trabalhadores, mobilizando, fazendo greve, evidenciando sua autonomia e independência e sua importância na luta por mais qualidade de vida”, completou.

Jacy Afonso, ex-presidente do Sindicato e secretário de Organização da CUT nacional, falou do papel desempenhado por Rodrigo Britto na condução do Sindicato no último período. “Rodrigo é uma liderança nova, que representa um processo de renovação no Sindicato que está sintonizado com a inclusão da juventude no emprego bancário. Sua recondução à presidência da entidade coroa todo um processo de incorporação dos jovens à luta sindical, que é o grande desafio hoje para o movimento dos trabalhadores”, pontuou Jacy Afonso.

O presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf/CUT), Carlos Cordeiro, congratulou os bancários pela participação no processo eleitoral e a diretoria do Sindicato pela demonstração de democracia e transparência. “O Sindicato dos Bancários de Brasília sempre nos apoiou nas lutas nacionais, especialmente sob a liderança do Rodrigo, fortalecendo ainda mais a unidade dos trabalhadores e contribuindo cada vez mais com ela”, frisou.

Para a presidente da CUT/DF, Rejane Pitanga, “a vitória da Chapa 1 significa o reconhecimento da categoria pelo brilhante trabalho desenvolvido por Rodrigo Britto” nos últimos três anos. “Sai vitoriosa a Chapa 1, saem vitoriosos os bancários, e também a CUT, que, ao lado do Sindicato, vai desempenhar um ótimo trabalho no próximo período à frente de uma categoria combativa, de luta e tão importante como os bancários de Brasília”, assegurou . 

A posse da nova diretoria está prevista para o dia 1º de julho, na sede do Sindicato.

Fonte: Sindicato de Brasília



Escrito por william-mendes às 08h17
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




 
 

APROVADA A CONVENÇÃO 151 NO SENADO: E AGORA SERRA/PSDB? VÃO NEGOCIAR COM OS PROFESSORES PAULISTAS?

CONVENÇÃO 151 DA OIT (QUE GARANTE NEGOCIAÇÃO COLETIVA ENTRE SERVIDORES E GOVERNOS) FOI APROVADA NO CONGRESSO NACIONAL. ESTA É UMA LUTA DA CUT DESDE A SUA CRIAÇÃO.

ATÉ BEM POUCO TEMPO (ANTES DO IMPOSTO SINDICAL SER ESTENDIDO PARA CENTRAIS) NENHUMA OUTRA CENTRAL TINHA COMO FOCO E OBJETIVO REPRESENTAR O FUNCIONALISMO PÚBLICO DAS 3 INSTÂNCIAS.

NÃO ADIANTA AS DEMAIS CENTRAIS TENTAREM MUDAR SUAS ORIGENS E CONCEPÇÕES. A CUT É QUEM DESDE O INÍCIO SE PAUTOU PELA REPRESENTAÇÃO AMPLA DE TODA A CLASSE TRABALHADORA DO CAMPO E DA CIDADE, DA REDE PÚBLICA E PRIVADA.

VITÓRIA DA CLASSE TRABALHADORA, VITÓRIA HISTÓRICA DA CUT.

SOMOS FORTES, SOMOS CUT!!

 

Convenção 151 é aprovada pelo Senado

Escrito por Isaías Dalle   
31/03/2010

Norma da OIT que garante negociação entre servidores e governos passa pelo crivo do Congresso. Enquanto isso, em SP...
A Convenção 151 da OIT (Organização Internacional do Trabalho, da ONU), foi ratificada pelo plenário do Senado na noite de ontem, 30 de março.  A 151 estabelece o princípio da negociação coletiva entre trabalhadores públicos e os governos das três esferas - municipal, estadual e federal.


Para entrar em vigor, a medida precisa passar pela sanção do presidente Lula, que a aprovará, visto que foi ele próprio que enviou o projeto ao Congresso Nacional em fevereiro de 2008, atendendo a reivindicação da CUT.

A 151 é defendida pela CUT desde a criação da Central, em 1983. "A aprovação da 151 é um fato que devemos comemorar com bastante orgulho", diz o presidente da CUT, Artur Henrique. "A entrada em vigor da Convenção será o marco de uma mudança na cultura política e administrativa do Brasil, onde ainda prevalece em muitos estados e municípios a idéia de que governador ou prefeito têm poder absoluto e não devem satisfações ou atenção aos trabalhadores públicos, como se estes fossem meros serviçais de uma suposta grande eminência", completa Artur.

Não deixa de ser simbólica a aprovação da 151 pelo Congresso justamente no momento em que José Serra, governador de São Paulo e, a partir de amanhã, candidato à Presidência, nega-se a negociar com os servidores da Saúde e da Educação e, ainda por cima, orienta a polícia a reprimir o movimento com golpes de cassetete, balas de borracha, gás de pimenta e bombas de gás lacrimogênio e de efeito moral. "O Serra está realmente se superando em matéria de direitismo, de ojeriza a trabalhador", critica Artur.

População vai participar - Na opinião de Pedro Armengol, diretor executivo da CUT e dirigente da Condsef (Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Federal), "o Brasil se insere no mundo civilizado no que se refere à relação entre servidores e governos". Para ele, a aprovação da 151 "poderá servir como uma mudança cultural e de comportamento num Estado com tradição autoritária. É um lastro importante para que os trabalhadores possam estabelecer um sistema de negociação permanente entre governo e servidores".

Desde julho de 2007, quando a CUT criou um grupo de trabalho denominado Coordenação do Serviço Público, as organizações representativas dos servidores têm debatido entre si e com o governo, especialmente com o Ministério do Planejamento, a elaboração de um escopo jurídico para ordenar um sistema permanente de negociação no serviço público. Armengol informa que o projeto está bem próximo de ser concluído, e que poderá servir como a legislação complementar da 151, ou seja, a adaptação da Convenção da OIT à realidade brasileira.

As boas notícias não param aí. O projeto que está sendo elaborado prevê que representantes da população, interessada direta na qualidade dos serviços públicos, serão eleitos para compor o Conselho de Relações de Trabalho da Administração Pública, junto com representantes do governo e das organizações sindicais. "Esse conselho", explica Armengol, "servirá como mediador de conflitos entre as partes. Vai permitir também que a população possa opinar, criticar, dar sugestões e ter acesso a dados que hoje são como que segredo de Estado". A CUT acredita que a 151 vai melhorar o ambiente e as relações de trabalho no serviço público, o que vai aperfeiçoar a qualidade do atendimento à população.

A Convenção 151 também estabelece os seguintes princípios:

1.      Proteção contra os atos de discriminação que acarretem violação da liberdade sindical em matéria de trabalho.

2.      Independência das organizações de trabalhadores da função pública face às autoridades públicas.

3.      Proteção contra atos de ingerência das autoridades públicas na formação, funcionamento e administração das organizações de trabalhadores da função pública.

4.      Concessão de liberação aos representantes das organizações de trabalhadores da função pública reconhecidas, permitindo cumprir suas funções seja durante as suas horas de trabalho ou fora delas.

5.      Instauração de processos que permitam a negociação das condições de trabalho entre as autoridades públicas interessadas e as organizações de trabalhadores.

6.      Garantias dos direitos civis e políticos essenciais ao exercício normal da liberdade sindical.



Fonte: CUT - Atualizado em ( 31/03/2010 )



Escrito por william-mendes às 19h56
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




 
 

Panfleto do PSDB-VEJA segue atacando o PT, Vaccari e Bancoop sem nenhum fundamento.

Vejam nova nota de Vaccari sobre a baixaria do PIG na voz da revista do PSDB-VEJA.

 

Nota sobre a matéria da Veja

 

A Veja desta semana dá continuidade à estratégia de me usar para atingir o Partido dos Trabalhadores. Na semana passada, a revista apresentou denúncia baseada em investigação que teve providências noticiadas pela revista rejeitadas pela Justiça.

 

As acusações desta semana se baseiam exclusivamente em depoimento cujo conteúdo não é verdadeiro, que teria sido prestado em 2005 pelo doleiro Lúcio Bolonha Funaro, buscando se beneficiar de delação premiada.

 

O Ministério Público Federal, a quem foi prestado o depoimento, não considerou as acusações minimamente consistentes, tendo em vista que não houve qualquer desdobramento em relação a mim.

 

Passados cinco anos, nunca fui chamado para prestar esclarecimentos ao Ministério Público Federal. Nem mesmo fui informado da existência ou do teor desse depoimento. O Ministério Público não propôs ação contra mim. Nenhuma denúncia foi apresentada.

 

Trata-se novamente de matéria sem fundamento ou provas como outras dessa revista que tem como objetivo atacar sistematicamente o PT, visando influenciar o processo eleitoral deste ano.

 

João Vaccari Neto

Secretário Nacional de Finanças e Planejamento do Partido dos Trabalhadores



Escrito por william-mendes às 15h08
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




 
 

O que penso sobre o projeto de lei "ficha-suja", contra candidaturas de pessoas indiciadas

Camaradas,
 
Conhecendo as estruturas institucionais da democracia e do Estado brasileiro, AINDA MAIS NA CONTEMPORANEIDADE, ONDE SE ACUSAM INOCENTES SEM NENHUMA PROVA DE NADA, SE ASSASSINAM REPUTAÇÕES e depois de anos do contexto a pessoa é inocentada em última instância, eu afirmo que não sou favorável a esse projeto de "ficha-suja".
 
A não ser que, no projeto, esteja de forma clara e transparente que é só para os CASOS TRANSITADOS EM JULGADO.
 
Do contrário, o projeto é mais uma invenção daqueles que gostam da ÉTICA NA POLÍTICA (retórica de ética muito usada pelo PSDB, DEM, pessoas de bem (BENS) e alguns coleguinhas nossos que militam em partidos de "esquerda" como PSOL, PCdoB, PSTU, PSB, PT etc. (é isso mesmo, tem santo da "ética" em tudo quanto é partido).
 
Eu defendo a ÉTICA DA POLÍTICA, aquela que busca construir instituições públicas, sólidas e impessoais, com regimentos para evitar subjetividades e desvios de caráter E QUE TRAGA RESULTADOS EFETIVOS PARA A MELHORIA DE VIDA DO POVO, como tem feito o Partido dos Trabalhadores nos dois mandatos presidenciais que se encerram em 2010. E QUE ESPERO E LUTO PARA QUE O PROJETO SIGA COM DILMA ROUSSEF.
 
Abraços sindicais,
 
William Mendes
Sec. formação Contraf-CUT



Escrito por william-mendes às 19h07
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]


 



Meu perfil
BRASIL, Sudeste, Homem, Portuguese, Spanish, Livros, Política
Histórico
    Categorias
      Todas as Categorias
      Citação
      Artigos e textos
      Comunicação e Democracia
      papo de bancários
      Formação e pessoal
      direitos e conquistas
    Outros sites
      FotoBlog de William Mendes
      Minha agenda sindical
      Blog Refeitório Cultural
      Contraf-CUT
      CUT/Portal do Trabalhador
      Rede Brasil Atual
      Agência Carta Maior
      Blog Diário do Bancário
      Revista Fórum
      OIT Org. Int. Trabalho
      Partido dos Trabalhadores
      Escola dos Trabalhadores
    Votação
      Dê uma nota para meu blog